05/03/2021 às 12h51min - Atualizada em 08/03/2021 às 23h20min

Autonomias corporal e sexual são os aspectos mais importantes para a autoestima das mulheres latino-americanas, enquanto para as brasileiras é a financeira

Esta foi uma das conclusões do estudo What Women Want, da Kantar

DINO
http://www.kantar.com


O estudo global What Women Want, aplicado pela multinacional Kantar, líder em dados, insights e consultoria, na América Latina (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México), revela que a autoimagem da mulher ainda é consideravelmente mais baixa que a do homem. 13% delas têm baixa autoestima, enquanto entre eles esse percentual é de apenas 9%.

A autoestima é a percepção e o valor que as pessoas dão a si mesmas, e como se sentem em relação à aparência, habilidades, condutas, autonomia, etc. O papel das mulheres evoluiu de maneira significativa nos últimos anos, mas elas seguem atrás dos homens. Somente 38% das latinas têm autoestima acima da média, com destaque para as colombianas, que chegam a 52% nesse quesito.

Para o estudo a Kantar considerou cinco dimensões que impactam a autoestima de uma pessoa. Os resultados das mulheres latino-americanas foram os seguintes:

• Autonomia sexual e corporal - 25% se sentem confortáveis e livres para decidir sobre seu corpo e sua sexualidade;
• Liberdade de pensamento e expressão - 23% conseguem que seus pontos de vista sejam ouvidos e respeitados;
• Autonomia financeira - 22% são livres para gastar seu dinheiro como quiserem;
• Conexões sociais - 15% possuem uma rede de pessoas com as quais podem contar;
• Representatividade e visibilidade - 14% veem pessoas públicas que sejam exemplos positivos e com quais se identificam.

A autoestima das brasileiras caiu em 2021. Considerando todas as faixas etárias, a diminuição em relação a 2019 foi de 7 pontos de penetração, de 28% para 21%. Já entre as mulheres de 30 a 44 anos foi bem mais acentuada. As que tinham alta autoestima passaram de 31% para 16%.
Nas demais gerações, a autoestima que já era acima da média subiu ainda mais. Dos 18 aos 29 anos foi de 22% para 25% e para quem tem mais de 45 anos cresceu de 33% para 46%.

Atualmente as marcas desempenham um importante papel na construção da autoestima. No estudo What Women Want a Kantar analisou os setores em que as marcas impulsionam igualdade e chegou a algumas conclusões.

No Brasil são as marcas de moda que mais ajudam, de acordo com 64% dos entrevistados, enquanto no México (81%) e na Colômbia (76%) são as de alimentos. Na outra ponta estão as marcas de cerveja, que para boa parte dos respondentes são as que menos trabalham pela igualdade de gênero: disseram isso 43% dos brasileiros, 56% dos mexicanos e 52% dos colombianos.

Por essas razões, a comunicação das marcas terá um peso muito importante no papel da mulher nos próximos anos e será essencial que elas trabalhem para promover a inclusão, a igualdade e a diversidade, gerando mudanças notáveis na sociedade latino-americana.

Em cada um dos cinco países - Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México - o estudo contou com 500 entrevistas on-line com homens e mulheres maiores de 18 anos, das classes AB, C+, C, C-, D+ e D. Mais informações em www.kantar.com

A Kantar é líder global em dados, insights e consultoria e a empresa que mais entende como as pessoas pensam, sentem, compram, compartilham, escolhem e veem. Ao combinar sua experiência sobre o conhecimento humano com tecnologias avançadas, as 30.000 pessoas que trabalham na Kantar contribuem para o sucesso e crescimento das principais organizações do mundo.

AD Comunicação & Marketing
Ana Davini / Daniel Ramirez / Camila Gomes
(11) 3042.6442 / 99965.8147 / 97164.7773
contato@adcomunicacao.com.br



Website: http://www.kantar.com
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp